Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Outubro 14, 2012

REFORMA PROTESTANTE, O POLÊMICO LUTERO

Martinho Lutero é sem dúvida uma figura polêmica. Para alguns ele foi a besta selvagem que pisou na vinha do Senhor. Para outros, no entanto, ele foi o herói que defendeu a fé em meio aos abusos da igreja. Um supra-humano.   Exageros à parte, é necessário o equilíbrio para podermos compreender melhor esta figura histórica.       Já comecei a falar dele em um artigo anterior, e vimos como sua descoberta na carta aos Romanos foi um doce para sua alma aflita. De fato, o que ele leu e interpretou é a verdade paulina, sem barganhas e sem mitos. Em 31 de outubro de 1517 expôs 95 teses na igreja de Wittenberg, na Alemanha, seu objetivo era apenas chamar teólogos ao debate, como era costume na época. No entanto, cópias desas teses começaram a circular no país. Ele foi auxiliado pela imprensa, nesse sentido. O Papa Leão X chegou a lançar uma bula, Exsurge Domini, excomungando o antigo monge. Ora, a denúncia de Lutero atingia diretamente o sistema com sua máquina de barganha, indulgências, i…

REFORMA PROTESTANTE, MARTINHO LUTERO

Conforme já vimos, falar de Reforma Protestante não é tão simples assim. Já narramos a questão de Isabel, no século XV, falamos um pouco do Renascimento,e também abordamos as vozes discordantes antes de Lutero. Falaremos agora sobre o reformador mais famoso da história da igreja.           Martinho Lutero nasceu na Alemanha, em 1483, na cidade de  Eisleben. Filho de camponeses. Seu pai chegou a trabalhar nas minas. Lutero cresceu em meio a angústias. Sua criação não foi tão fácil assim. Foi criado de modo muito severo, e, na escola ele era alvo de críticas dos professores, que o educavam de modo bastante rígido. Isto sem dúvida deixou marcas em sua alma. Para Lutero, Deus era um juiz extremamente severo. Aos 22 anos, ele torna-se um monge agostiniano, decepcionando seu pai que pretendia que ele fosse advogado. De alma aflita, esperava que os meios de graça que a igreja oferecia concedesse- lhe alívio.  Confessava pecados várias vezes durante o dia, praticava a auto-flagelação. De…

REFORMA PROTESTANTE, UMA INTRODUÇÃO

Falar de reforma protestante não e fácil, pois, para a mente desavisada, a questão poderia ser resumida da seguinte forma: no século dezesseis, em 31 de outubro de 1517, um ex - monge chamado  Lutero, baseado em romanos 1: 16 e 17, fez uma reforma na igreja. Ponto final, tá explicado o assunto. Porém, para quem não está de brincadeira e deseja a verdade histórica, a coisa é muito mais complexa.        Já falamos dos antecedentes imediatos da Reforma Protestante, vozes que foram caladas, na Idade Média houve gritos discordantes que denunciaram os abusos da igreja. Houve muitos bispos que ansiavam por uma mudança na estrutura clerical. Na Espanha do século quinze, com a rainha Isabel, conhecida como A CATÓLICA, houve uma reforma, nos moldes do catolicismo, ela empreendeu realizar uma façanha, fazer uma versão da Bíblia em várias línguas, o com efeito aconteceu, sob a chefia de Francisco Cisneros. Esta Bíblia é conhecida como POLIGLOTA COMPLUTENSE, e, foi realizada em dez anos, por vários…

VOZES DA REFORMA ANTES DA REFORMA

Durante a Idade Média, diante dos desmandos da igreja, em meio a toda sorte de luxo e pompa dos eclesiásticos. Em meio a um mar de tirania e perseguições, mortes, paganismos,  e tantos outros meios de intimidação de que já falamos, houve vozes discordantes.              No século XIV, surgiram vozes como o inglês João Wycliff, com sua doutrina do senhorio, que afirmava categoricamente o fato de que todo bispo deveria servir e não ser servido. Argumentava também o fato de que o luxo e a pompa havia tomado a mente dos prelados. Ainda no século XIV, João Huss, na Boêmia enfatizou as mesmas verdades. Foi morto pela "santa inquisição" que de santa não tinha nada. Esta instituição, conforme vimos, foi criada por Inocêncio III, que de inocente não tinha nada. Ele viveu no século XIII, o auge do papado.           Outro ator importante neste contexto de contestação foi Jerônimo Savonarola, prelado italiano que bradou em Florença contra os abusos desmedidos da igreja. Foi mo…

O RENASCIMENTO CIENTÍFICO, NO CONTEXTO DA REFORMA PROTESTANTE

Este movimento ocorreu a partir do século XIV, tendo sua continuidade nos anos a seguir. O título Renascimento Científico não é adequado, pois, ele pressupõe que nos anos imediatamente anteriores ao movimento foram de trevas. O que não é verdade. O termo surgiu no século XVI, com um crítico de arte conhecido como Giorgio Vasari, especificamente no ano de 1550. Ora, ele dizia que o tempo no qual estava vivendo era uma época de ressurreição, de renovo, de despertamento. Vale dizer que se encontra implícito nestas palavras a ideia errada, de que, na idade Média tudo era trevas. O que não corresponde a realidade. Com efeito, na Idade Média, houve muita luz, haja vista o desenvolvimento da matemática com os árabes, da Química, da Filosofia, das artes, principalmente a arte gótica. Os mosteiros eram centros de estudos teológicos e linguísticos. Apesar do obscurantismo da igreja, houve vozes discordantes, e na própria igreja surgiram excelentes teólogos e filósofos. Nesta época surge o papel…

O PAPA INOCÊNCIO III E A TRANSUBSTANCIAÇÃO

O século treze foi marcado pela presença marcante do papa Inocêncio III, que de inocente não tinha nada. Ele é considerado como um dos papas mais importantes para a igreja. Astuto, verdadeira raposa, e dono de uma capacidade política muito grande. Tinha sede pelo poder. Inocêncio foi o autor da Inquisição, um dos instrumentos de tortura mais terríveis de toda História. Um verdadeiro meio de terror medieval. Vale lembrar que em setecentos anos de existência da Inquisição, milhões foram mortos.        Este líder eclesiástico levou o papado ao auge do seu poder. Brigou com reis, com senhores feudais, etc. Subjugou o rei inglês, João sem terra, obrigando-o a pagar mais impostos para a igreja. Através de um instrumento chamado de interdito, pelo qual havia a suspensão de todos os direitos eclesiásticos para o país, ele manipulava reis.          O quarto concílio de Latrão, encabeçado por ele, promulgou a doutrina da TRANSUBSTANCIAÇÃO, pela qual o pão e o vinho se transformam-se em carne e sa…