Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Setembro 2, 2012

BREVE HISTÓRIA DA IGREJA, PERSEGUIÇÃO SOB DÉCIO.

Após a perseguição sob Marco Aurélio, conforme já vimos no artigo anterior, houve um período de relativa paz para os cristãos. No ano 249 d. c. , ou seja, no terceiro século da era cristã, embora tenha tido um governo relativamente breve, Décio impôs uma violente perseguição à igreja cristã. Ele governou até o ano de 251 d.c., porém, a perseguição foi extremamente cruel.        Conforme já foi dito, os motivos das perseguições foram várias, dependendo da visão do Imperador. Sob Nero a acusação foi o incêndio, sob Domiciano os impostos e a restauração da glória romana, sob Marco Aurélio a superstição. Agora, porém, o motivo desta onda de perseguição foi a vontade de Décio de ser adorado pelos seus súditos e, também, semelhante a Domiciano, restaurar as glórias de Roma, seus deuses, etc.       No seu governo, vários cristãos correram para sacrificar aos deuses, outros, porém, ficaram firmes na sua resolução de não dobrar-se diante do Édito real. Décio morreu em 251 d. c. em uma camp…

BREVE HISTÓRIA DA IGREJA, PERSEGUIÇÃO SOB MARCO AURÉLIO

No segundo século da Era Cristã, especificamente no ano de 161 d. c. ascendeu ao poder o Imperador Marco Aurélio. Ele é conhecido como Imperador filósofo, pois, ao contrário de Nero e de Calígula, não era um surtado maníaco. De fato, ele também era escritor. É conhecido como autor de Meditações."Intenta a cada momento, como romano e como homem, fazer o que tens à frente com dignidade perfeita e simples, e com bondade, liberdade e justiça." Este é um dos pensamentos de Aurélio.        Ora, era de se esperar que, durante a vida e o governo deste Imperador, os cristãos não fossem perseguidos. Não foi o que aconteceu.  Apesar de tanta iluminação filosófica ele era filho do seu contexto e, portanto, muito supersticioso. Quando uma série de catástrofe começou a ocorrer no seu reinado, entre elas inundações, terremotos, pestes, entre outras, o Imperador pensou que os deuses estavam enfurecidos com os romanos e desatou a perseguição contra os cristãos, pois, pensava ele, os deu…

BREVE HISTÓRIA DA IGREJA, PERSEGUIÇÃO SOB DOMICIANO.

No final do primeiro século, especificamente no ano de 81 d.c. subiu ao poder Roma o Imperador Domiciano. De fato, seu nome era Flávio Tito Domiciano. Este novo governante romano desatou a perseguição contra os cristãos, depois de um período de relativa paz         Sabemos que Domiciano era amante das glórias romanas, ou seja, ele admirava o poder romano, a sua cultura, os seus deuses, enfim, era um amante da mentalidade romana. Para ele, os cristãos eram um povo amante da ignorância, bárbaros. A perseguição aconteceu por causa de basicamente dois motivos: o primeiro deles era o fato de que este novo Imperador pretendia restaurar as glórias de Roma, seus cultos, suas divindades seus costumes, etc. Além disso, parte desta política consistia na divinização do Imperador, portanto, quem se opusesse a esta mentalidade seria perseguido. Ademais, Domiciano amava a cobrança de impostos. Conforme já vimos, a política romana era a de que o Império precisava dos impostos para manter a ordem. Quan…

BREVE HISTÓRIA DA IGREJA. RUMORES CONTRA OS CRISTÃOS.

A perseguição desatada contra os cristãos pelo Império Romano teve como base algumas acusações. Era política do Império tolerar as várias religiões. Roma praticava uma política de pacificação, desde que os impostos fossem pagos. A partir da segunda metade do século primeiro, no entanto, com o imperador Nero, houve um longo tempo de perseguições, com períodos de relativa paz.       Os rumores contra os discípulos eram muitos. Em primeiro lugar, eles foram acusados de ateísmos. Ora, num período no qual o Imperador era objeto de divinização, todo aquele que se recusasse a sacrificar aos deuses e ao líder romano era taxado de traidor. Ademais, eles eram acusados de traição contra o Sistema dominante. Os deuses romanos tinham cara, possuíam um rosto, o Deus dos cristãos, no entanto, não possuía forma alguma, logo, eram acusados de adorar um deus invisível, ou, pelo menos, um Deus sem forma ou inexistente. Ademais, havia rumores de que praticavam orgias fraternas, pois, eles chamavam-s…

BREVE HISTÓRIA DA IGREJA, A PERSEGUIÇÃO SOB NERO.

A partir da segunda metade do século primeiro, o Império Romano começou uma perseguição aos cristãos que perdurou por cerca de dois séculos e meio. Houve tempos de relativa paz. Nem todos os imperadores perseguiram os cristãos, porém, alguns Césares desataram a perseguição.       Nero foi um Imperador que, no começo do seu governo, realizou algumas obras que favoreceram os romanos. Foi generoso com os pobres e não parecia ser o surtado que veio a tornar-se. Chegou ao poder no ano de 54, através da ajuda de sua mãe, Agripina, que, após o assassinato de Cláudio, levou o filho ao poder. Após um período de governo relativamente generoso, o Imperador Nero surtou, matou a própria mãe, Agripina, e pretendia ser um artista, um literato. Ele foi deposto pelo Senado no ano de 68, logo após, suicidou-se.            No ano de 64 houve um grande incêndio em Roma, vários bairros da cidade romana foram incendiados. Diferente do que se pensa é possível que Nero não tenha colocado fogo na cidade p…

BREVE HISTÓRIA DA IGREJA, PERSEGUIÇÃO AOS CRISTÃOS .

No primeiro século da era cristã os discípulos de Jesus foram duramente perseguidos, e esta perseguição estendeu-se até o quarto século, conforme veremos mais adiante. A princípio, o Império Romano não foi o sujeito da perseguição, ela foi provocada pelos judaizantes. Ora, quando lemos o livro de Atos vemos que a incipiente igreja foi perseguida pelos judeus pedrados, principalmente os mais radicais entre eles. Paulo, antes de se converter ,foi um exemplo de perseguidor da igreja. Para os judaizantes, esta " nova mensagem" era um quisto que precisava ser extirpado. A Palestina estava subjugada aos romanos, pensavam eles, por causa da ira de Deus, e se esta nova doutrina se difundisse rapidamente, Deus ficaria muito mais irado, portanto, era necessário fazer um "serviço divino", acabar com estes perturbadores e desobedientes da lei de Deus. Este era, com efeito, o pensamento judaizante mais radical.        É por este motivo que o Sinédrio ( já falamos sobre ele…

BREVE HISTÓRIA DA IGREJA. OS APÓSTOLOS

O que ocorreu com os Apóstolos de Jesus depois que ele morreu e ressuscitou? Existe algumas informações históricas que podem trazer luz sobre a questão. É certo que alguns ficaram em Jerusalém, conforme já vimos. Tiago, o irmão de João, foi morto por Herodes Agripa, segundo o Livro de atos informa. Pedro, um dos Apóstolos que foi transformado em primeiro Papa pela igreja, fato não verídico conforme veremos posteriormente, foi martirizado  em Roma sob a perseguição de Nero. Segundo testemunhos, morto de cabeça para baixo em uma cruz. O caso de Paulo indica que ele morreu em Roma também sob a perseguição de Nero (posteriormente falaremos desta questão).Morreu decapitado. O livro de Atos nos mostra ele preso em Roma, segundo os historiadores ele teria sido solto, e, posteriormente, preso novamente e morto.       Testemunho históricos dão indício de que Tomé teria chegado a Índia e fundado uma igreja durante o reinado do rei Gondofares, embora exista algumas lendas e mitos em torno d…

BREVE HISTÓRIA DA IGREJA, A IGREJA DE JERUSALÉM.

É certo que havia uma igreja em Jerusalém. O livro de Atos dos Apóstolos nos mostra uma comunidade estabelecida, gozando de relativa liberdade. Seus líderes eram alguns Apóstolos, entre eles Tiago, o irmão de Jesus. João e Pedro também são mencionados. Não há dúvidas de que ela possuía alguns problemas a serem resolvidos. No livro de ATOS DOS APÓSTOLOS é narrada uma querela acerca das distribuições das cestas básicas. As viúvas dos judeus não helenizados eram favorecidas pelas divisões dos alimentos. Foram estabelecidos diáconos para cuidar das questões, enquanto os Apóstolos cuidavam da propagação da mensagem. Questão resolvida.     Outro entrave a ser resolvido foi o problema da entrada dos gentios na igreja, conquanto Jesus tivesse dito que deveram sair de Jerusalém, eles eram ainda pedrados demais para compreender tais palavras. Foi necessário a morte de Estêvão para que a comunidade saísse de Jerusalém.
       Esta igreja foi, aos poucos,se estabelecendo, porém, no ano 70 d.c…