Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Novembro 11, 2012

O FUNDAMENTALISMO EM UMA VISÃO CRÍTICA

O termo fundamentalismo surgiu no séc. XIX, foi uma reação ao liberalismo teológico da época.Em 1846, por exemplo, surgiu a aliança evangélica, totalmente fundamentalista e anti-liberal.          Embora o termo não existisse antes, o espírito fundamentalista  sempre existiu. Foi o fundamentalismo letrista dos fariseus quem matou JESUS, na Idade Média o espírito fundamentalista estava lá. Após a Reforma protestante, no século XVII o fundamentalismo tomou conta de várias correntes reformadas. O puritanismo, que começou bem, incorporou a intolerância fundamentalista e perseguiu aqueles que discordavam da sua mentalidade. O fundamentalismo é frio, é castrador, é engessado. Ele não permite o encontro, ele faz do outro o não ente, ou seja, o não ser. Ele confina, enclausura e não permite  o pensar. O fundamentalista é escravo do seu sistema. Ele fala da verdade mas não está disposto a buscá-la. Acerca do fundamentalismo diz o Paull Tillich : " O fundamentalismo fracassa na tentat…

A CONFUSÃO RELIGIOSA NA AMÉRICA DO NORTE, SÉCULOS XV III E XIX

Os E.U.A. após a sua independência foi alvo do surgimento de várias tendências religiosas que formaram um verdadeiro caleidoscópio religioso.É o que veremos de forma sucinta.         No princípio do século XIX surgiram os adventistas do sétimo dia, cujo fundador foi WILLIAM MILLER. Ele chegou a conclusão, com base no livro de Daniel e outras partes das escrituras, que a volta de Jesus ocorreria em 1843. Outro nome importante foi Ellen White, que deu um impulso maior ao movimento, principalmente depois do descrédito de Willian após o ano de 1843. A guarda do sábado é o seu principal fundamento. Quanto a esta questão, tenho um artigo já escrito.        Outro movimento foi os das "testemunhas de Jeová". Este movimento foi uma expressão do espírito norte-americano que permeava o século dezenove. Ora, este espírito era o espírito de protesto contra o governo, contra as tendências religiosas. Charles Taze Russel foi o seu fundador.Segundo ele as igrejas eram instrumentos do …

REVOLUÇÃO NORTE-AMERICANA PARTE II

Conforme foi dito no artigo passado, em 4 de julho de 1776 dá-se início a Revolução na América do Norte. De fato, o termo revolução é questionável, pois, as colônias livraram-se do controle da metrópole, porém, não houve mudanças profundas nas estruturas sociais. A escravidão, por exemplo, não foi abolida e o controle do poder político passou paras as mãos de escravistas, principalmente da parte sul. A liberdade tão prometida foi para poucos. No norte, o poder político passou para as mãos de comerciantes. A libertação dos escravos ocorrerá anos depois, de fato, em 1863, durante a guerra de secessão.         O impacto da independência norte- americana sobre a igreja foi significativo, muitos anglicanos voltaram à Inglaterra, pois, eram partidários da coroa. O próprio Wesley defendia a volta dos líderes metodistas a Europa, vimos que os princípios do anglicanismo nunca saíram totalmente de Wesley. Surgiu a igreja episcopal americana. O metodismo foi ganhando contornos próprios, e, embora…

A REVOLUÇÃO NORTE-AMERICANA, 1776

A América do Norte foi colonizada a partir do século dezessete por imigrantes oriundos principalmente da Inglaterra, embora grupos de franceses também saíram de seu país a fim de aventurar-se no "novo mundo". Ora, no século XVII o país inglês estava envolvido em guerras civis, haja vista a Revolução Puritana, a qual já nos referimos em artigos anteriores e muitos, em busca de novas oportunidades e fugindo das guerras civis, migraram para América.     A princípio, foram fundadas 13 colônias, que viviam com relativa autonomia diante da sua metrópole. A Inglaterra pouca atenção deu as suas colônias, pois, estava envolvida em suas próprias contradições internas. Passando-se o tempo, chegando o século XVIII, surge a Revolução Industrial, pretendo falar deste assunto posteriormente, e a Metrópole foca a sua atenção nas suas terras ultramarinas. O objetivo principal desta nova atenção dada aos colonos era despejar seus produtos industrializados na América.    Começa o controle. V…

O GRUPO BATISTA DA AMÉRICA DO NORTE, SÉCULO DEZESSETE

Já afirmamos em artigos anteriores o fato de que os puritanos da América do Norte tonaram-se frios, pedrados, arrogantes e moralistas, é verdade que nem todos participaram deste espírito, toda generalização é perigosa, todavia, a nata do movimento engessou-se. Tornando-se assim, houve vozes discordantes, entre estas vozes estavam um líder sério e cheio de tolerância, chamado ROGER WILLIAMS. Após servir entre os puritanos, Williams declarou que as autoridades civis não possuíam o direito de intervir em questões de consciência religiosa, como era de costume entre o grupo puritano. Perseguido, ele foi refugiar-se em uma colônia chamada Rhode Island onde fundou uma comunidade Batista e começou a viver pacificamente entre os índios da região. Ora, em uma época na qual o pensamento era de que os índios possuíam inferioridade racial, e, portanto, tinham que serem conquistados, ele foi um diferencial. Chegou mesmo a afirmar que muitos índios não precisavam da "revelação do cristi…