Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Agosto 19, 2012

ESCRIBAS E DOUTORES DA LEI.

Quem eram os escribas e doutores da lei, na época de Jesus? os Evangelhos fazem alusão a eles de forma abundante. Jesus assume uma posição de contestação em relação a estes indivíduos.Muito eu teria que falar, porém, irei fazer um resumo básico.       Nem todo escriba era doutor da lei, embora todo doutor da lei fosse, de fato, um escriba. Eles surgiram em um período pós-exílio, quando os judeus começaram a se organizar em sinagogas, estes centros de estudos da Torá, a lei de Deus. Era o século sexto antes de Cristo, para simplificar a data. Nos dias bíblicos, faziam parte do Sinédrio, esta corte judaica que possuía grande força em Israel. Na verdade, os doutores da lei tinham grande influência, principalmente na educação de indivíduos e no seu julgamento. Eles tinham feito "uma cerca em volta da lei", eram respeitados por todos, monopolizavam a educação. Diziam que viviam da lei e para a lei. Enquanto os sacerdotes viviam no Templo, os escribas viviam na sinagoga. fora…

A VIDA NOS TEMPOS DE JESUS, O SÁBADO.

O Sábado em Israel era repleto de significado. Ele está inserido nos dez mandamentos, de fato, era um mandamento estritamente observado em Israel, nos dias de Cristo, pois, os contemporâneos de Jesus se apegaram a LETRA DA LEI, esquecendo do seu espírito.       Em Cristo tudo foi consumado, inclusive a LEI, como exposta no Antigo Testamento, Jesus é a maturidade, é o cumprimento. O Novo Testamento é a maturidade da revelação divina. Colossenses capítulo dois fala sobre o assunto, a carta aos Hebreus e aos Gálatas, também. É tudo aparência de humildade.        A grande questão é: por que o Sábado foi instituído? Não se diz no Antigo Testamento que Deus descansou? A resposta é simples. Em primeiro lugar ele foi colocado como um fator social, em um tempo no qual Israel estava organizado em tribos e depois como uma nação organizada, era um mecanismo de proteção ao judeu mais pobre, a fim de que ele não fosse explorado por patrões injustos. Era uma lei social. Deus estava sendo humano. …

O MAU, O MAL, A ESSÊNCIA E A CONSEQUÊNCIA.

Durante a História da Filosofia, da teologia, da psicologia e de tantas outras ciências, a origem de mau sempre foi objeto de debate. Não existe consenso até hoje sobre o assunto. Ora, quero a princípio, salientar os conceitos de mau e de mal. O mal é uma consequência do mau, logo, o mau designa uma essência perversa, má ( desculpe a redundância). Assim como o bem designa uma consequência de algo que é bom; a bondade, pois, é essência, surge na subjetividade, aliás, a verdadeira bondade, visto que no mundo caído certas manifestações de "bondade" tem na sua essência a maldade ( ou será Maudade?rsssss). O mal é objetividade, é algo externo, visível, algo que se contempla, no entanto, certos males tem verdadeiros efeitos terapêuticos, muitas vezes, para o ser. Do ponto de vista da língua portuguesa, mal é contrário de bem e mau contrário de bom. Do ponto de vista metafísico são conceitos que andam intrinsecamente ligados, porém, neste mundo, podem relativizar-se, pois, no…