Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Junho 10, 2012

UMA INTRODUÇÃO AS CARTAS DO APOCALIPSE

Falarei sobre as cartas do Apocalipse, as sete cartas escritas por João às sete igrejas da Ásia.
   Em primeiro lugar devemos contextualizar a situação. João estava preso porque a sua pregação era uma subversão aos ouvidos do Império Romano. Não que João fosse um subversivo, mas, num tempo em que o imperador era tido como um representante de uma divindade, um deus, pregar e falar de um messias , um  Rei, seria interpretado como uma sublevação.assim sendo, ele foi preso e exilado e a História nos diz que, solto posteriormente foi martirizado em Éfeso, provavelmente.    A época era o primeiro século, especificamente o final do primeiro século, todos os Apóstolos tinham morrido e João era o último que estava vivo e o Império Romano estava no seu auge do poder, Domiciano era o Imperador e o culto a ele era observado.     Em uma visão O cristo aparece a ele (João) e manda escrever sete cartas que contendo advertências e elogios às sete igrejas da Ásia.    A primeira carta é dirigida a Éfeso…

HISTÓRIA DA SEXUALIDADE,O VITORIANISMO DO SÉC.XIX

O século xIx é marcado pelo vitorianismo na Inglaterra. A rainha Vitória governou durante 63 anos o poderoso Império Britânico que já estava se consolidando como um império forte.    A era vitoriana é marcada profundamente pelo moralismo sexual. Nesta época foi dada muita ênfase ao comedimento do sexo, ou seja, a moderação, isto incluindo jovens e pessoas casadas. É fato que alguns casais chegaram a se separar por causa da falta de interesse sexual de um dos parceiros. Nesta época o número de clitoridectomia aumentou bastante, principalmente nos E.U.A. ( o termo clitoridectomia significa extirpação do clitóris ) a fim de tornar o prazer menor. A ênfase era dada no prazer comedido. Foi uma época neurótica.    A culpa neurótica aumentou bastante, aumentou também o número de prostíbulos, pois, alguns maridos iam visitar os bordeis para retirar a tensão provocada pela falta de interesse sexual das esposas. A masturbação era vista como grave pecado e desgastante para o físico. Alguns jovens …

HISTÓRIA DA SEXUALIDADE,IDADE MODERNA.

Nos séculos dezesseis e dezessete, o contexto é de "Grandes Descobrimentos", o eixo econômico muda do Pacífico para o Atlântico. Surgem novos pólos de poder, Portugal e Espanha, invadem as Américas do Sul e Central. É a época da escravidão e do Pacto Colonial.    No contexto da sexualidade nós encontramos algumas mudanças. O índio é alvo de tirania, as índias são estupradas, "O Brasil nasceu de uma relação sexual sem amor", disse Darcy Ribeiro,e é verdade. Surge a miscigenação, resultado de violência europeia. Na Europa, a Reforma Protestante bate de frente com o Celibato, Lutero se casa e muitos monges também. Já falei acerca do celibato em outro artigo.    A imposição europeia continua aos índios, os Maias possuíam uma concepção de casamento diferente da Cristandade europeia, são violentados em sua cultura. Aumenta a violência sexual entre eles, a violência doméstica.     No século dezoito, com a Revolução  Industrial, aumenta o número de prostitutas, pois, muitas m…

HISTÓRIA DA SEXUALIDADE, CRISTIANISMO E CONTRACEPÇÃO

O Cristianismo é neurótico, quer seja na sua versão piramidal católico - romano, com sua estrutura de poder formada, quer seja na versão protestante, doentia e paganizada, com dogmas, ritos, formalismos e tradições humanas. O protestantismo é a versão mais magra do Cristianismo, no entanto, possui as mesmas idiossincrasias.    A mentalidade contraceptiva cristã, com poucas exceções, bebe da Idade Média, de sua mentalidade pessimista sexual, bebe dos gregos, bebe de Aristóteles. O sexo não é para o prazer, e sim, para a procriação, logo, é necessário ter filhos e não evitá-los, diz a mentalidade religiosa. Está claro que tudo isto contradiz a lógica e a Bíblia, que no livro de Cântares de Salomão  mostra a sexualidade como fonte de prazer sério entre o casal que se ama.    Teólogos chegam a ler um texto de Gênesis, sobre Onã, e mostram , erradamente, que a procriação era a finalidade ali exposta. Já falei sobre isso no meu texto ONANISMO  e expliquei que se fala de Levirato e não de proc…

HISTÓRIA DA SEXUALIDADE,CRISTIANISMO, AGOSTINHO E O ABORTO

O sacrifício da vida da mãe é o preço que tem que ser pago para que o filho não vá para o inferno, sendo batizado antes de morrer , logo após nascer, mesmo com o risco de morte da mãe. Este foi o ensinamento da teologia moral da igreja durante séculos, baseado em Agostinho, um dos pais da igreja no quarto século. Este ensinamento vigorou principalmente na Alemanha.    Com esta teologia moral, ou melhor , moralista, podemos analisar como o Deus de Agostinho era apequenado e mesquinho. Um Deus que condena a criança ao inferno por causa da ausência de batismo.Pura Religião e nenhum Evangelho.    Por trás de toda esta discussão sobre abortar ou não o feto anencéfalo está a teologia perversa de Agostinho, ainda que não se diga abertamente. Mentes pedradas oficina do diabo.    Pense Nisso    Prof. José Costa.

DIA DOS NAMORADOS

Namoro é relacionamento, é amizade, é sinceridade, é amor .É estar en amor, na linguagem espanhola. A palavra namorar vem daí , estar en amor, portanto, quem namora, teoricamente, deve ou deveria estar em amor com o seu parceiro.
   Há casais que namoram estando casados, há casais que namoram não estando casados e há casais que não namoram , estão enganados e  enganando. Há casais que namoram e são namorados casados, pois, casamento é namoro e namoro é ralacionamento casamento, isto é , casamento não se dar no cartório dá-se no coração namorado.    Prof. José Costa.    Uma homenagem ao dia dos namorados e a sua (minha) namorada.